23 de agosto de 2007


Obra e foto de Quedo

Super Colossal

Um cachorro preto de camiseta
é aliteração do calor do fetichismo
no pó da inquisição diária.
A falência da nossa certeza
é um brinde que antropólogos
contextualizam nas tribos urbanas
Dante cai no Inferno atrás de Beatriz
“Essa mulher gentilíssima que ao passar pela
rua entrou na graça do povo”
Viva a exploração dos humanóides
que não valem na mais valia.
William de Ockham e seu espírito laico
“Cristo não veio ao mundo a fim de tomar
seus bens e direitos, então o vigário de Cristo (Papa)
que é inferior não pode fazê-lo.
A tarde queima pleonasmos preventivos de sexo salutar
quando Sartre cita Bergson no EU DO MOMENTO.
Platão tira a múmia da certeza de cena e diz:
_Não, por Zeus!
“Poesia é com efeito só isso que se chama
E os que tem essa parte, poetas.
O poeta está morto e em sua lápide está escrito:
Aquele que tem coragem de atirar-se no abismo
E ensaboaram a poesia com sabão OMO
A noite grita a imperfeição da nossa compreensão.
Hegel soluça em tese, antítese e síntese.
Ainda me nego além da negação
Joe Satriani emana acordes de Marte
Sua guitarra é benzida por rifes de alienígenas
que não sabemos denominar.

20 de agosto de 2007

19 de agosto de 2007

NOUMENON


O poema atômico gritou na verve do texto
mas o vento levou
A primeira vez
ela me olhou diferente na sala de aula
No primeiro encontro falamos de magia
No terceiro acabamos na cama
É como Kant dizia da priori do tempo e do espaço.
O tempo e o espaço não existem como realidade externa,
são antes formas que o sujeito põe nas coisas.


NOUMENON (a coisa em-si)

13/08/07