27 de março de 2012

IRONIA


do nó
Descartes
sem lentes
Vão
do ão
risco phósforo
no asfalto
Poe poema
anômalo
Baudelaire pede 
um café
Bate na porta
Bashô
Sol 
nasce
sem saber o mistério
da noite que 
passou
A Philos Shophia
reflete o sol
nas respostas
das perguntas 
da vida. 

Santo Antônio de Lisboa em Floripa-SC 2011

23 de março de 2012

22 de março de 2012

PATIFARIA PARA PAULO LEMINSKI

pau
pedra
pio
patife
proa
puto
palavra
patrão
poema


poesia
paraná
paulada
príncipe
proeza


pimenta
pistão
palavra
porrada

19 de março de 2012

NOTAS AQUÁTICAS


voo na tarde
um som de música
chove amiúde 

17 de março de 2012

LADRILHOS DE UM MOSAICO

Bato palavras pedras
Fagulha fogo fato
Crio criatura crime
Poe Allen Poema
Mundo mudo maresia
Alinho linho arte.


Bato palavras pedras
Mar maremoto morcego
Tapo túnel trincheira
Ar artefato aedo
Sangro suor sol
Teste trovoada texto
Ferro fabrica faísca
Brinda batalha borboleta.

9 de março de 2012

PARTITURA PARA O NADA


pingos da chuva 
alinham o improviso:
 desvio  das notas musicais.

4 de março de 2012

MINHAS NUVENS SÃO MINAS SÃO SANTA CATARINA DAS BARRAS VELHAS NO AR A FILOSOFIA É UM RISCO

O teto cai?
Eu quero que este teto
caia
no amplexo do
Walter Franco
O cu do mundo é
Verso que no anexo é
reverso
de vida passagem
no samba roque que
a prosa silencia
arte é corte que
espirra madrugadas
incandescentes
o falar falo
na Filosofia que
é nada
poeta carcomido por nuvens
Rimbaud
anuncia a salvação
Trafico nuvens distraídas
antes do Arco-Íris
abraçar a tarde
que num haikai
pingou a chuva
longe do Romance.